Igreja multada por permitir que fiéis fossem a cultos sem máscaras

Igreja multada por permitir que fiéis fossem a cultos sem máscaras


Uma igreja na Califórnia (EUA) foi acusada de realizar cultos em seu templo com centenas de participantes sem máscaras faciais e terminou multada em US$ 55 mil pelas autoridades do estado.

A igreja Calvary Chapel of San Jose e seu pastor, Michael McClure, mantiveram os cultos presenciais supostamente violando restrições de saúde pública impostas pelas autoridades. Com a acusação formal, o juiz do Tribunal Superior do Condado de Santa Clara, Peter H. Kirwan, decidiu que a igreja e o pastor estavam em desacato ao tribunal e os multou.

A igreja foi condenada a pagar US$ 2.500 por cada vez que violasse a ordem, realizando cultos sem seguir as diretrizes de saúde pública, que supostamente serão de cerca de US$ 55 mil, aproximadamente R$ 278 mil na cotação atual.

O pastor comentou a decisão do tribunal em uma reunião realizada pelos fiéis do lado de fora da Corte, dizendo que não se opõe ao uso das máscaras: “Se alguém quiser usar uma, use uma”, disse ele.

Em seguida, explicou porque não impediu que pessoas sem máscaras fossem aos cultos: “Eu não sou um policial, sou um pastor. Eu respeito o juiz. Eu entendo quais são as leis, mas existe uma lei maior. Quando preciso ouvir: ‘você tem que seguir a Deus ou segue o homem’, tenho que seguir o que a Palavra de Deus diz”, conceituou.

De acordo com informações do portal The Christian Post, o pastor Michael McClure planeja apelar da decisão e estará no tribunal federal na próxima semana em um pedido para que o governo federal intervenha em nome da Igreja.

Restrições

O conselheiro do condado de Santa Clara, James R. Williams, que ajudou a abrir o processo contra a Calvary Chapel e McClure em outubro, disse na terça-feira após a decisão que o cumprimento total das ordens de saúde pública era “vital”.

“Essas ordens de saúde pública são literalmente uma questão de vida ou morte; elas são projetadas para reduzir a transmissão de COVID-19, evitar doenças graves e salvar vidas “, disse Williams. “As violações contínuas desta entidade colocam toda a comunidade em risco e não serão toleradas”, acrescentou, reiterando a postura de estrangulamento das igrejas adotadas pelo governo do estado.

Em maio, o governador Gavin Newsom decretou restrições às reuniões pessoais com a intenção de tentar conter a disseminação do COVID-19, o que incluía limites para o comparecimento ao culto e, inclusive, a proibição de louvar durante as celebrações.

No entanto, várias igrejas, incluindo a Calvary Chapel, se recusaram a obedecer, argumentando sobre a necessidade de pregar o Evangelho e se reunir em adoração. A congregação da cidade de San Jose realizou cultos presenciais em seu templo com cerca de 600 pessoas, quando as restrições do condado limitaram esses eventos a não mais que 100 pessoas.





Notícias Gospel Mais https://noticias.gospelmais.com.br/

Deixe uma resposta