Com escolas fechadas, igrejas estão cedendo espaço aos alunos

Com escolas fechadas, igrejas estão cedendo espaço aos alunos


A pandemia do novo coronavírus tem sido um desafio para pais, alunos e professores no mundo inteiro, viso que por causa das medas de isolamento muitos estudantes não estão podendo estudar na sala de aula. Felizmente, igrejas resolveram atuar neste cenário.

Diante deste cenário, igrejas cristãs nos Estados Unidos resolveram contribuir para a melhoria da qualidade do ensino remoto. Uma vez que muitas famílias não têm condições e recursos adequados para manter internet, computador, além de um ambiente doméstico para o ensino em casa, essas denominações estão cedendo o espaço dos templos para essa finalidade.

Dessas igrejas, 14 delas estão sediadas em Houston e pertencem à Conferência Anual do Texas da Igreja Metodista Unida. A ideia com o projeto, além de oferecer recursos como internet e computador, é também dar condições para que os pais dos alunos possam trabalhar mais sossegados.

Isso porque, como os alunos passaram a ficar em casa e muitos são crianças pequenas, os pais também tiveram a dificuldade de não ter com quem deixar os filhos. Nem todos possuem familiares disponíveis ou condições de pagar creches. É aí onde o projeto intitulado “Santuários da Aprendizagem” está fazendo a grande diferença.

“Eles [os alunos] moravam na vizinhança, se matriculavam na escola, ligavam para a escola para guardar um lugar… [e] seus pais foram notificados sobre isso [proibição das aulas presenciais]”, disse a Rev. Jill Daniel, uma anciã da Conferência Anual dos Estados do Texas Igreja Metodista, segundo informações do Christian Post.

Shannon Martin, diretora de comunicações da Conferência Anual do Texas, comemorou o fato do projeto estar sendo um sucesso. Ele já se espalhou para várias partes dos Estados Unidos. Outras denominações estão adotando o mesmo nome, “Santuários da Aprendizagem”, tudo de forma voluntária e como reflexo do amor de Cristo.

“Mas então, quando as pessoas começaram a ouvir sobre isso… começou a se espalhar por todo o país. Portanto, há pessoas em todo o país fazendo isso”, disse ela ao Christian Post.

Falando sobre o nome do projeto, ela disse: “Queríamos que as pessoas o usassem e certamente utilizassem o mesmo modelo de trabalho com distritos escolares. Uma vez que haja um bom modelo, queremos que outras igrejas e outras pessoas sejam capazes de seguir o mesmo modelo porque funcionou”.





Notícias Gospel Mais https://noticias.gospelmais.com.br/

Deixe uma resposta